Baiano, mulato, escritor, poeta, estudioso da Bíblia e de grego, amante de samba, praia e futebol, feminista avant la lettre, sedutor, carismático, interlocutor de Juscelino Kubitschek e de Che Guevara, quem foi esse homem cujo nome foi por décadas impublicável?

 

Líder comunista, vítima da prisão na ditadura Vargas, parlamentar na Constituinte de 1945, incansável defensor da nação brasileira e de suas riquezas, guerrilheiro, autor do mundialmente traduzido “Manual do Guerrilheiro Urbano”, inimigo número 1 do governo militar brasileiro, atuou nos principais acontecimentos políticos do Brasil entre os anos 30 e 1969.

 

Na noite de 04 de novembro de 1969, foi assassinado por agentes da polícia política em uma emboscada em São Paulo. Passados 40 anos de sua morte, seu nome é cada vez mais lembrado como símbolo de resistência à ditadura no Brasil.

 

Marighella é uma exposição sobre Carlos Marighella montada em São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro. Expondo cartas e materiais inéditos, textos do próprio Marighella, imagens de arquivo, iconografia variada e depoimentos – a exposição foi vista por um público amplo.

 

Estruturamos a exposição a partir de cinco momentos da trajetória de Carlos Marighella, momentos determinantes da história política e social brasileira nos quais Marighella uniu sua vida à vida do país. Assim, ao mesmo tempo em que a exposição informa o público sobre esse mito desconhecido, informa também sobre esse país ainda desconhecido. É o homem que nos interessa mostrar, em sua complexidade; o homem dialogando com seu tempo.

Equipe

Curadoria: Isa Grinspum Ferraz, Vladimir Sacchetta

Expografia: Marcelo Carvalho Ferraz

Comunicação visual: Zoldesign

Audiovisual: Isa Grinspum Ferraz, Daniel Grinspum

Produção: Prata Produções

 

Memorial da Resistência - Pinacoteca do Estado de São Paulo

Caixa Cultural do Rio de Janeiro

Teatro Castro Alves Bahia

Exposição Marighella (2011)